Entenda o que é o Metaverso do Facebook e seu impacto nas estratégias da plataforma

Entenda o que é o Metaverso do Facebook e seu impacto nas estratégias da plataforma

Por Luiza Matos

especialista em Design

Publicado em 30 de Novembro de 2021 às 18:01 | Atualizado em 02 de Dezembro de 2021 ás 19:08

Você provavelmente ficou sabendo que o Facebook mudou de nome e agora se chama Meta. A marca passou por reformulações quando, em outubro de 2021, um vazamento de documentos internos deixou a empresa em uma grande crise.

O Facebook foi duramente criticado pela forma como lida com tópicos complexos e importantes, inclusive por funcionários, que acusaram a empresa de se preocupar apenas com imagem e lucratividade, sem dar a devida importância para as questões delicadas que estavam acontecendo no momento.

Durante o vídeo de lançamento da Meta, Mark Zuckerberg apresentou o “Metaverso”. Porém, esse anúncio trouxe muitos questionamentos ao público, que não entendeu o objetivo das mudanças da marca, qual o propósito do Metaverso, e quais os impactos que essa novidade traria para o futuro na internet.

Entretanto, a maior dúvida que permanece é: Como essa crise do Facebook pode afetar os profissionais de marketing, gestores e empreendedores, que dependem dessas plataformas para trabalhar.

É sobre isso que vamos falar no artigo de hoje.

O que sabemos sobre o Metaverso

Apesar de ainda ser impossível afirmar como, efetivamente, a reformulação da empresa realmente irá solucionar os problemas apresentados no Facebook Papers - nome dado aos documentos vazados em outubro - é possível entender que a intenção de Zuckerberg é construir uma imagem positiva e tecnológica para a empresa.

Até o momento, sabemos que a Meta está intimamente relacionada a questões como inteligência artificial, realidade aumentada e realidade virtual. O objetivo é elevar o nível de interação entre as pessoas e as novas tecnologias.

Além disso, já é possível identificar o novo logo da marca em outros aplicativos da empresa, como Whatsapp e Instagram.

Por meio do Metaverso, os usuários terão acesso a um mundo virtual, onde serão capazes de criar avatares, conversar, encontrar amigos, adquirir produtos com criptomoedas e uma série de outras funções. Para a Meta, esse novo universo leva também à evolução de outros produtos, já que se trata de uma realidade totalmente nova, com novas necessidades.

Porém, para entendermos melhor do que se trata o Metaverso, precisamos discutir alguns outros tópicos.

Qual a novidade do Metaverso?

A verdade é que o Metaverso não é nenhuma novidade. O Facebook não foi a primeira empresa a combinar a Inteligência Artificial (IA) com a Realidade Aumentada (RA). Na realidade, já fazem anos que conceitos como IA e RA já estão inseridos em nosso cotidiano.

Tecnologias como os assistentes pessoais, jogos, a pesquisa do Google e até mesmo o Instagram, já fazem uso dessas tecnologias a um tempo. Dessa forma, o Meta não traz nenhuma inovação ao usá-las dentro de sua plataforma.

Além disso, o Metaverso já existia antes mesmo da criação da Meta. Ainda em abril deste ano, a Epic Games anunciou uma rodada de financiamento estimada em US$ 1 bilhão para apoiar a longo prazo os projetos da empresa para o Metaverso. E eles não são os únicos.

O fundador do Somnium Space, um metaverso utilizado por mais de mil pessoas diariamente, Arthur Sychov, em entrevista a Global News afirmou que “o Facebook parece estar aproveitando a oportunidade para se inserir em algo que já estava acontecendo”.

A criação do Metaverso está relacionada ao Facebook Papers?

Durante o anúncio da Meta, não foi feita nenhuma referência aos problemas que a empresa estava enfrentando no momento. Porém, ao que parece, o Facebook parou de evitar o assunto e anunciou planos para remover milhares de opções de segmentação de anúncios confidenciais e implementar telas de aviso que desencorajem a publicação de postagens e comentários que podem ser considerados como intimidação e assédio.

Mesmo que a empresa esteja se movimentando de forma com que realmente pareça que essa é uma atitude inspirada pelos vazamentos, nós nunca saberemos realmente da verdade. O que podemos afirmar é que o Facebook tem passado por grandes problemas organizacionais e operacionais e que todas essas discussões em torno da marca estão prejudicando a sua credibilidade no mercado.

Dessa forma, é difícil achar se tratar de uma coincidência o fato da empresa estar passando por mudanças tão grandes em questão de redirecionamento de estratégia, uma vez que ela realmente precisava dessas mudanças.

O que muda para os usuários das redes sociais?

A criação da Meta promete liderar uma revolução em termos de tecnologia e redes sociais. Considerando a poderosa influência das marcas controladas pelo Facebook, combinada à tecnologia do Metaverso, é possível entender a influência que essas mudanças terão na sociedade.

O aumento das interações que acontecem dentro de um mundo virtual, podem ocasionar ainda mais mudanças sociais no futuro, inclusive na forma de se fazer marketing. Uma vez que as pessoas passam mais tempo em outra realidade, seus hábitos, comportamentos e formas de consumo também são afetados.

Dessa forma, é importante que os profissionais de marketing estejam atentos a essas mudanças, mesmo que ainda seja muito cedo para dizer quais o Metaverso irá trazer e quais os impactos na vida dos usuários e consumidores.

Além disso, mudanças no comportamento do consumidor colocam sempre os profissionais de marketing em novos desafios, ainda mais se pensarmos que nesse caso os usuários terão que ser impactados em duas realidades distintas. A criação de um novo canal resulta em, não só, novas possibilidades de aquisição para os clientes, mas também requer o uso de novas métricas por parte das marcas.

Aposte em estratégias

A partir de agora, com a chegada de todas essas mudanças em relação ao Facebook e, consequentemente, a Meta, os profissionais de marketing e empreendedores terão que estar mais atualizados do que nunca em relação aos impactos, positivos ou negativos, dessas atualizações e aprender com toda essa situação.

Por fim, podemos concluir que ter um público engajado e que seja próximo a sua marca dentro das redes sociais é uma ótima estratégia. Porém, depender totalmente de uma única empresa, nesse caso o Facebook, e estar sempre a mercê de suas instabilidade, é muito perigoso.

Procure possuir mais de um canal de comunicação, e até mesmo vendas, com os seus consumidores, assim você pode ter mais autonomia na hora de tomar decisões em relação a sua empresa.

Confira nosso artigo sobre os benefícios de ter um site profissional para o seu negócio.

Gostou do conteúdo? Fique ligado em nossas redes sociais e aprenda muito mais sobre o mundo do marketing digital!

Siga o Instagram da Mazukim

Curta nossa página no Facebook

Conecte-se com nosso Linkedin

Siga o Tiktok da Mazukim

Inscreva-se no nosso canal do Youtube

Consuma Mais Conteúdo de Marketing Digital


Software do MIT Projeta Aumento de Contágio Por Coronavírus se Acabar Isolamento Social

Google Shopping - Agora Você Poderá Aparecer de Forma Gratuita

Não Está Conseguindo Converter Leads em Novos Clientes?

Quer ter o mesmo resultado que o nosso blog?
Comece a criar conteúdo com a Mazukim Agora!

Quero Fazer uma Avaliação!